Viagem à Roda do Meu Quarto (Xavier de Maistre)

Viagem à Roda do meu Quarto é uma obra satírica, construída em contraponto aos relatos de viagem, já satirizados por Swift em As Viagens de Gulliver, e levados a outro extremo do ridículo por Xavier de Maistre.

Neste livro, o narrador empreende uma expedição confinada aos limites de seu quarto, indo da cama à poltrona, da poltrona à escrivaninha, etc. Em tais circunstâncias, o sonho, os pensamentos e a lógica tortuosa do narrador ganham destaque na narrativa, razão pela qual se pode dizer que a viagem é menos em torno do quarto, do que ao redor da mente e das razões humanas. “Impediram-me de percorrer uma cidade, um ponto; mas me deixaram o universo inteiro: a imensidade e a eternidade estão a minha disposição“.

O livro é especialmente importante para os leitores brasileiros pela sua citada e reconhecida influência em Machado de Assis, tanto diretamente quanto por intermédio de Almeida Garrett. Empreendi a sua leitura tendo isso em mente e ainda assim fui surpreendido com a semelhança. Em algumas partes do texto, parecia que estava  lendo Machado de Assis. Como exemplo, em determinado momento, Xavier recomenda ao leitor que eventualmente desgostou de um capítulo que o rasgue de seu exemplar, o que imediatamente me lembrou de Machado solicitando (já não sei se foi em Memórias Póstumas ou em Dom Casmurro) que o leitor modificasse a posição de um capítulo, inserindo-o entre dois outros anteriores.

viagem a roda do meu quarto

facebooktwittergoogle_plusmail