Alceste (Eurípedes)

Alcestis: Uma tragédia ?

Aos que não conhecem a peça antecipo que esta resenha contém spoiler. Talvez o mais difícil na peça de Euripides seja mesmo classificá-la. O argumento é simples. Admeto deverá morrer. Sua esposa Alcestis se oferece para morrer em seu lugar. Ela morre e, após a morte, o herói Hércules visita o Palácio do rei Admeto. Por hospitalidade Admeto omite o acontecimento para bem receber o herói. Hércules descobre o ocorrido e após descer ao Hades retorna trazendo Alcestis que é então devolvida ao amigo Admeto.

A primeira pergunta que surge é onde encontrar o trágico nessa tragédia. Talvez aí o limite das classificações. Afinal, seria a ordem das apresentações o elemento definidor. Pelo contrário, se assim o fosse bastaria uma permutação de ordem a implicar numa permutação de gênero. Resta então recorrermos à existência do elemento humorístico. Comédia (ou sátira) seria aquilo que não era pra ser levado a sério.

Por esse critério Alcestis também não seria uma comédia. Logo, resta classificá-la como tragédia. E se pela perspectiva do leitor a peça falha em refletir o trágico que a tragédia impõe é exatamente essa tragédia que impele a essa a classificação da tragédia como tragédia.

facebooktwittergoogle_plusmail